Estou Escondido na Cor Amarga do Fim da Tarde

Estou Escondido na Cor Amarga do Fim da Tarde Poesia Excerto Estou Escondido Na Cor Amarga Dofim Da Tarde Sou Castanho E Verde Nocampo Onde Um P Ssarocaiu Sinto A Terra E Orgulhopor Ter Enlouquecido Produzo O Corpopor Dentro E Sou Igual Ao Quevejo Suspiro E Levanto Vento Nasfolhas E Frio E Eco Pe O S Nuvenspara Crescer Passe O Sol Por Cimados Meus Olhos No Momento Em Que Ooutono Segue Roda Do Meu Tronco E, Assimque Me Sinta Queimado, Leve Me Osol As Cores E Reste Apenas O Odorintenso E O Suave Jeito Dos Ninhos Aorelento Fala sobre poesia n o nada f cil Para mim avalio a consoante as emo es que me desperta, a intensidade com que uma frase me toca, fazendo me sorrir ou despeda ando me A poesia de VHM tem sido f cil de entranhar, embora de uma forma diferente do que tenho lido at agora S posso dizer que gosto, o porqu
j o sol se esgota na minha cabe a e os dias n o s o mais que a intermit ncia com que abro e fecho os olhos. come o por cerrar os olhos com vida dentro Desconhecia a faceta po tica de Valter Hugo M e preciso ler devagar, refletir, interiorizar O tema marcante a exist ncia e a n o exist ncia que ele transmite bem A terra pesa os mortos avalia os l chegaremos Por outro lado, parece haver um descontento com um Deus que n o se importa com os acont